Home » Notícias » Banco do Povo de Iperó é alternativa para driblar a crise

Banco do Povo de Iperó é alternativa para driblar a crise

Banco do Povo de Iperó é alternativa para driblar a crise

Os iperoenses que pretendem investir ou driblar a crise econômica para melhorar os resultados de seus estabelecimentos têm a disposição no município as linhas de crédito oferecidas pelo Banco do Povo Paulista (BPP). Os juros fixados são menores que os de mercado (0,5% ao mês) e o período de pagamento pode se estender em até 36 meses.

Segundo levantamento realizado, as condições mais vantajosas atraíram, neste último semestre, 50 empreendedores que emprestaram cerca de 290 mil reais no total. O número manteve-se na média do ano de 2014 quando 55 empreendedores contrataram financiamentos com o BPP local.

O valor liberado como financiamento é agregado ao desenvolvimento da mão de obra e economia da cidade e para o prefeito os números mostram o empreendedorismo do iperoense. “Mesmo com o cenário econômico tumultuado em todo país vemos que nossos pequenos empresários estão buscando alternativas para empreender. A criatividade somada as taxas mais baixas do Banco do Povo permitem o desenvolvimento das atividades formais e informais e também geram renda.”, destaca o prefeito.

Foram os juros baixos que atraíram o empreendedor Ronan Gamero. Para ele o BPP foi uma boa alternativa. “Os juros baixos são essenciais para quem quer empreender. Antes eu pagava 0,5% de juros e agora os juros caíram ainda mais chegando a 0,35% muito diferente do banco onde normalmente eu pagaria mais. Para quem procura empreender vale muito a pena!”, comentou o proprietário da loja de aviamentos.

Com Clemilda Ramos dos Santos não foi diferente. Proprietária de uma loja de roupas de noivas na cidade, a comerciante se demonstrou feliz com o serviço. “Estou super satisfeita, o empréstimo me ajudou demais pela facilidade e por ser um excelente programa”, disse a cliente.

Satisfeita com os resultados, a responsável pelo BPP, Bruna Mara Figueiredo Santurbano, diz que o programa é muito importante para o desenvolvimento dos negócios locais, em especial, para as pessoas que querem empreender e não encontram alternativas para começar. Para ela “É gratificante ver prosperar os empreendedores da cidade”.

Para acesso ao crédito os interessados devem ser maiores, desenvolver atividade produtiva (formal ou informal), residir há mais de 2 anos no município, ter endereço fixo e ter o total de vendas de até R$ 360.000,00 nos últimos 12 meses. Também é uma exigência que não possuam restrições cadastrais junto aos órgãos de proteção ao crédito (Cadin, SCPC e Serasa).