Home » Destaque » Cerimônia marca o lançamento da pedra fundamental do RMB e início dos testes do LABGENE

Cerimônia marca o lançamento da pedra fundamental do RMB e início dos testes do LABGENE

Cerimônia marca o lançamento da pedra fundamental do RMB e início dos testes do LABGENE

O Centro Industrial Nuclear de Aramar, em Iperó, sediou na manhã desta sexta (8), a cerimônia de lançamento da pedra fundamental do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB) e o início dos testes de integração dos turbogeradores do Laboratório de Geração de Energia Nucleoelétrica (LABGENE). O evento contou com a presença do presidente da República, Michel Temer, dos ministros da Defesa, Joaquim Silva e Luna, da Saúde, Gilberto Occhi, da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassb, do Comandante da Marinha do Brasil, Almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, do prefeito de Iperó, e diversas autoridades.

A comitiva presidencial iniciou a visita pelo LABGENE, que é um protótipo, em terra, da planta nuclear do futuro submarino com propulsão nuclear brasileiro, e possibilita a simulação, em condições de segurança, da operação do reator e dos diversos sistemas eletromecânicos integrados.

Em seguida, uma solenidade oficializou o início dos testes do LABGENE e o lançamento da pedra fundamental do RMB, que tornará o Brasil autossuficiente na produção de radioisótopos. Os radioisótopos são fundamentais para a fabricação de radiofármacos, que têm grande importância para o tratamento de doenças em diversas áreas da Medicina, como a cardiologia, oncologia, hematologia e neurologia. O RMB está sob a responsabilidade da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e será construído numa área de 2,04 milhões de metros quadrados, cedida pela Marinha do Brasil e pelo Governo do Estado de São Paulo, vizinha ao Centro Industrial Nuclear de Aramar.

A região de Iperó passará a ter dois reatores nucleares, o do RMB e o do LABGENE, que farão com que o município se torne um polo de desenvolvimento de tecnologia nuclear no país, atraindo novas empresas e indústrias, gerando empregos para todos os níveis de formação e qualificação, e incrementando a atividade econômica local.

“É um momento muito especial para a nossa nação, com o reforço à nossa soberania e às nossas condições de defesa. O início dos testes do LABGENE nos permitirá avançar, principalmente com relação à atuação da Marinha. Em relação ao RMB, teremos muitos avanços também, de forma especial na área da Saúde. Parabéns a todos que estão envolvidos nesses projetos”, comentou o ministro Gilberto Kassab.

O ministro Gilberto Occhi explicou que anualmente são realizados cerca de dois milhões de exames por imagem no Brasil e, por isso, o Ministério da Saúde vai investir R$ 750 milhões no projeto do RMB até 2022, visando baratear os custos relacionados à medicina nuclear. “Estamos dando um passo significativo para a independência tecnológica e acesso aos serviços de diagnósticos e tratamentos de medicina nuclear no país. Hoje somos dependentes de produtos estrangeiros. A partir do funcionamento do RMB, poderemos aumentar o número de tratamentos no Brasil e de exames por imagens, além de ajudar outros países com a exportação de radiofármacos. Reforço o meu compromisso de continuar investindo em novas tecnologias para ofertar o que há de melhor e mais moderno para todos os cidadãos brasileiros”, disse.

Já o ministro Joaquim Silva e Luna destacou que os investimentos relacionados aos projetos desenvolvidos em Iperó contribuem para o fortalecimento da economia nacional e a projeção do Brasil no cenário internacional. “O setor nuclear integra a estratégia nacional de defesa. O LABGENE e o RMB são empreendimentos que contribuem para o Programa Nuclear Brasileiro e o desenvolvimento nacional. Hoje somos capazes de realizar o enriquecimento de urânio e a fabricação do combustível utilizado em reatores nucleares. Ao avançarmos no Programa Nuclear, vamos aprimorar as tecnologias para uso com fins pacíficos.”

O presidente Michel Temer lembrou que esteve no Centro Industrial Nuclear de Aramar há sete anos e enfatizou sobre a evolução dos projetos em andamento em Iperó desde então. “Este é um momento que traz orgulho a todos os brasileiros. O RMB e o LABGENE elevam o nosso patamar na área de Ciência e Tecnologia, consagrando a posição do município de Iperó e da região como polo de tecnologia nuclear, gerando empregos e atraindo novos investimentos. É um extraordinário desenvolvimento que está sendo feito aqui.”

Para o prefeito de Iperó, anfitrião do evento, foram fundamentais as tratativas entre a Marinha do Brasil e o Governo de São Paulo, com intermediação do deputado federal Samuel Moreira (chefe da Casa Civil na época) e da Prefeitura de Iperó, para a desapropriação de 800 mil metros quadrados necessários à construção do RMB. A liberação dos recursos foi autorizada pelo governo do Estado em junho do ano passado, após dois encontros realizados para tratar sobre o projeto. “É um momento histórico para o nosso município e a região, pois já há alguns anos vínhamos trabalhando para tornar o RMB uma realidade, o que trará empregos de níveis técnico e superior, e atrairá pesquisadores de todo o país e do exterior. Além da projeção nacional de Iperó, o RMB vai trazer desenvolvimento e tecnologia para o município e a Região Metropolitana de Sorocaba, sendo o maior centro de tecnologia de pesquisa nuclear do país”, destacou o prefeito.

HOSPITAL DE IPERÓ – Também prosseguem as tratativas para a parceria entre a Marinha do Brasil e a Prefeitura de Iperó visando o funcionamento do hospital do município. As negociações estão em andamento há três anos e atualmente o processo aguarda parecer da Advocacia Geral da União (AGU) para a assinatura do convênio. Na última reunião realizada em maio, entre representantes da Prefeitura, da Secretaria Estadual da Saúde e da Marinha, foram encaminhadas todas as questões que estavam pendentes.

“Durante o evento de hoje, em Aramar, conversei com o contra-almirante André Luís Ferreira Marques sobre o andamento do projeto. Serão investimentos de R$ 5,5 milhões para o funcionamento do nosso Hospital Local Designado (HLD), que se tornará uma referência inclusive no atendimento na área nuclear. Nossa expectativa é que em breve teremos a aprovação da AGU”, finalizou o prefeito.