Home » Destaque » “Criando laços” e “Bem me quer” realizam entrega dos cordões de capoeira

“Criando laços” e “Bem me quer” realizam entrega dos cordões de capoeira

“Criando laços” e “Bem me quer” realizam entrega dos cordões de capoeira

“Tem sido uma experiência incrível.” A frase da coordenadora Fernanda Tonin, do “Bem me quer”, de George Oetterer, se refere à parceria do projeto com o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), por meio do “Criando Laços”, e o grupo de capoeira “Cordão de Ouro”, de Sorocaba. Através dessa parceria, cerca de 60 alunos receberam os seus primeiros cordões de capoeira nesta segunda (14). Os eventos aconteceram pela manhã e à tarde na quadra da Escola Municipal “Dona Cecy Monteiro Oetterer”, em George Oetterer, e reuniram centenas de pessoas entre professores, alunos, pais e a comunidade.

O contramestre de capoeira Eliel Ramos e os integrantes do “Cordão de Ouro” interagiram com todos os presentes, apresentando diversas músicas e jogos de capoeira. Ao todo, cerca de 60 alunos do “Bem me quer” e do “Criando Laços” receberam os cordões de capoeira na cor verde clara. “Nossas graduações utilizam as cores da Bandeira Nacional. O verde claro é destinado às crianças”, explicou o contramestre.

Patrícia Aparecida Russo Mena é mãe de um dos alunos que receberam o cordão. “É um trabalho muito bom. Meu filho mudou bastante em casa, se desenvolveu, e é um orgulho vê-lo aqui hoje. Todos os pais deveriam permitir a participação dos filhos”, disse.

Para Andreia Lopes Rodrigues, coordenadora do CRAS, é um momento de festa, pois se trata de uma conquista importante. “Estamos com essa parceria desde março, onde os alunos do ‘Bem me quer’ participam das atividades da capoeira que são desenvolvidas no CRAS. É uma estratégia para ocupar as crianças com atividades da cultura brasileira. Estamos formando as primeiras turmas e há outras em andamento. Precisamos comemorar”, comentou.

De acordo com Fernanda Tonin, a capoeira permitiu a inserção social, a disciplina, o respeito, o entrosamento e apresentou uma parte da cultura brasileira. “Temos alunos de três anos e meio até seis anos e meio, incluindo alunos da educação especial, o que é muito importante. As crianças chegam empolgadas em casa. Os pais estiveram presentes e agradeceram bastante. Então, para a comunidade também é significativo. Agora vamos nos organizar para estender a outras turmas”, finalizou.

Alunos do “Bem me quer” e do “Criando laços” receberam os cordões de capoeira