Home » Notícias » Escolas recebem palestras sobre arboviroses

Escolas recebem palestras sobre arboviroses

Escolas recebem palestras sobre arboviroses

Desde a última terça (11) está em andamento uma série de palestras sobre arboviroses (doenças transmitidas por insetos), que percorrerá todas as escolas do município. O projeto é uma parceria entre a Secretaria de Saúde (Vigilância Epidemiológica e Controle de Vetores) e a Secretaria de Educação, Cultura e Esportes. O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) também integra essa iniciativa que visa levar aos alunos orientações sobre a Dengue, a Chikungunya, o Zika vírus e a Febre amarela.

As primeiras escolas a receberem a palestra foram a “Marinheiro Mariz e Barros” e a “Cecy Monteiro Oetterer”, ambas em George Oetterer. Ainda durantes as apresentações foi lançado o projeto “Agente Jovem de Combate às Arboviroses”, para incentivar os alunos no combate ao mosquito Aedes Aegypti. O projeto será realizado em todas as escolas e finalizado com um concurso de melhor desenho para os alunos de 1º e 2º ano, melhor frase para os alunos do 3º ao 5º ano e melhor rap para os alunos do 6º ao 9º ano. Os vencedores passarão um dia na Floresta Nacional de Ipanema.

O cronograma de palestras segue até maio:

18/04 – Escola Municipal “Francisco Adolfo de Varnhagen”

19/04 – Escola Municipal “Prof. Zilma Thibes Mello”

25/04 – Escola Municipal “Gláucia Aparecida Andrade Nogueira”

26/04 – Escola Municipal “Prof. Roque Ayres de Oliveira”

02/05 – Escola Municipal “Prof. Henory de Campos Góes”

03/05 – Escola Municipal “Prof. Pedrina de Campos Pedrozo Rosa”

09/05 – Escola Municipal “Isaura Jamas Fogaça”

10/05 – Escola Municipal “Elisa Moreira dos Santos”

16/05 – Escola Municipal “Dra. Neide Fogaça de Lima”

Falando sobre a Febre amarela, a analista ambiental Veronika Schuler, do ICMBio, explicou que o macaco é o indicador de que pode haver a doença numa determinada região, mas ele não é o ‘vilão’ da história. “O macaco também é vítima. As pessoas não devem culpar o macaco pela doença, mas sim o mosquito transmissor. E a nossa participação na série de palestras é justamente para levar essa conscientização aos alunos”, comentou.

“O número de casos de Febre amarela cresceu no país e também surgiram casos na nossa região. Incluímos o tema nessa série de palestras, porque o Aedes Aegypti é um dos transmissores da doença. A parceria com o ICMBio é muito importante para reforçar as informações sobre o macaco, que não transmite a doença. E isso precisa ficar claro para toda a população”, destacou Silvana Souza, da Vigilância Epidemiológica.

“Essa parceria entre as secretarias de Saúde e Educação, juntamente com o ICMBio, permitirá que os alunos sejam multiplicadores das informações junto às suas famílias e pessoas próximas. É uma iniciativa bastante positiva. É preciso combater o mosquito e não podemos de vista esse objetivo. Não podemos descansar. Precisamos estar atentos no dia-a-dia e não permitir o surgimento de criadouros do Aedes Aegypti”, ressaltou o prefeito.