Home » Notícias » “Oficina de soldagem de trilhos” – patrimônio de Iperó

“Oficina de soldagem de trilhos” – patrimônio de Iperó

“Oficina de soldagem de trilhos” – patrimônio de Iperó

Desde o início de 2013, a Prefeitura vem realizando ações em prol da recuperação da história e cultura de nosso município. A primeira e fundamental providência adotada pela nova administração foi adotar todas as medidas necessárias para a retirada do “cemitério de vagões” (326, no total) que aterrorizava há mais de 20 anos os moradores dos bairros Novo Horizonte e Vila Santo Antonio.

A ação realizada nos primeiros dois anos da atual administração trouxe ainda grandes avanços para toda a população, já que em razão de uma multa milionária aplicada na empresa concessionária – ALL – o município conseguiu a celebração de um acordo que trará outros benefícios, dentre eles, a recém-anunciada cessão da Oficina de Soldagem de Trilhos, área de quase 61 mil metros quadrados que agora integra a posse do município.

O local passará por processo de recuperação, custeado pela ALL (ainda em razão do acordo firmado pela empresa com a Prefeitura) em valor que deve atingir 1 milhão e 700 mil reais.
Apesar dos inúmeros esforços da administração para recuperar o patrimônio histórico e cultural da cidade e resgatar as histórias de vida de cada morador e de cada funcionário da ferrovia, a Estação Ferroviária e os prédios em seu entorno com frequência vem sendo alvo de atos de depredação e vandalismo.

Por meio da união de esforços da Guarda Civil Municipal com Secretarias como a de Educação, Cultura e Esportes, Transportes e Serviços Municipais, Meio Rural, Ambiente e Turismo e Departamento de Fiscalização, diversas medidas são realizadas na área, desde a constante fiscalização e apreensão de vândalos cometendo ilícitos até as ações de recuperação desses prédios.

A ação criminosa no local que, lamentavelmente, promove todos os tipos de ilícitos (como furtos, roubos, uso e tráfico de entorpecentes e danos ao patrimônio) geram enorme ônus para o município e grande impacto negativo para toda a comunidade. Problemas estes que também são vivenciados por vários municípios que tiveram, à partir da ferrovia, o desdobramento político-administrativo.

Como dito, inúmeras ações já foram e são realizadas na área. Restaurações por equipes especializadas, geração de emprego, formação de restauradores, oficinas profissionalizantes, eventos culturais e a guerra judicial para a retirada dos vagões que abrigavam toda sorte de pessoas desocupadas.

Em outra época, o local já chegou a ser utilizado como “desova” de cadáver e refinaria de drogas, descobertas através das ações da GCM de Iperó e pela intensificação das patrulhas no local em parceria com a Polícia Militar, como demonstram as fotos já divulgadas outrora pela GCM e pela prefeitura.

Nos dias atuais, como podemos observar nas fotografias, alguns grupos utilizam os locais para pichações, deixando seus nomes (muitos deles, inclusive, conhecidos dos meios policiais e pela própria população), promovendo ameaças aos profissionais da segurança pública e declarando o local como território do crime organizado, inclusive, com gravuras da sua ideologia “Paz, Justiça e Liberdade”.

Alguns chegam ao cúmulo de identificar bairros da cidade ao qual supostamente pertencem, outros se intitulam aliados de facções e “bondes” que promovem arrastões e bailes de funkeiros no Rio de Janeiro, todos formados de bandidos armados que promovem o crime e a desordem deixando a população amedrontada.
Infelizmente, como dito, apesar de todos os nossos esforços, investimentos e medidas de ordem administrativa e judicial, o município e, principalmente, a Guarda Civil Municipal, precisam do apoio de todos.

Vejam, o problema não é simplesmente de ordem administrativa, é SOCIAL! Cada um de nós, “cidadãos de bem”, tem que contribuir, fazer nossa parte, participar e denunciar as ações desses criminosos. Precisamos preservar o que é nosso com o civismo, a urbanidade, a civilidade, o respeito e a moral que existe no seio de cada família iperoense.

Caminhamos com nossas ações para que, em breve, a Estação Ferroviária e todo seu entorno possam ser ocupados pela administração pública para levar mais serviços públicos para a região, projetos culturais e educacionais, sub-base da Guarda Civil Municipal, dentre tantos outros. Ações e projetos que, por enquanto, ainda não serão divulgados por questão de segurança.

Contudo, somente com a ajuda e a colaboração de cada um, com cada cidadão fazendo sua parte e com a administração comprometida em benefício da população, poderemos atingir esse sonho de todos que é resgatar o que é nosso!