Home » Notícias » Gestores de ensino participam de formação sobre Justiça Restaurativa

Gestores de ensino participam de formação sobre Justiça Restaurativa

Gestores de ensino participam de formação sobre Justiça Restaurativa

Gestores de ensino participam de formação sobre Justiça Restaurativa
* Prática promove a Cultura na Paz na resolução de conflitos

Cerca de 40 gestores da rede pública de ensino de Iperó participaram no fim de novembro de uma formação sobre a Justiça Restaurativa. A formação é uma iniciativa da Comarca de Boituva e tem com intuito expandir a técnica entre os profissionais de educação e promover aplicação do conceito do projeto nas escolas.

A formação foi ministrada pelo escrevente técnico judiciário, André Theodoro de Souza Cruz. Na ocasião, as atividades são realizadas em círculos para priorizar a comunicação oral e o “olho no olho”, estimulando maior união e interatividade entre os gestores participantes.

Sobre a Justiça Restaurativa

A Justiça Restaurativa é uma técnica de solução de conflitos, uma opção de convivência e de retomada, seguindo a Cultura da Paz, que é um conjunto de valores, atitudes, modos de comportamento e modos de vida que rejeitam a violência e previnem os conflitos, ao atacar suas raízes para resolver os problemas por meio do diálogo e da negociação entre indivíduos, grupos e nações.

Na prática, a Justiça Restaurativa é um processo circular de diálogo e escuta, confidencial e voluntário, para apoiar e cuidar de pessoas e tratar conflitos e situações de violência, no sentido da corresponsabilidade.

Com a formação, os profissionais de educação poderão transformar a resolução de conflitos em uma comunicação não violenta, com a teoria de proteção integral à criança e ao adolescente, além de criar círculos de construção de paz. A secretária de Educação, destacou a importância da formação e da atuação do projeto nas escolas municipais. “O projeto é extremamente importante no dia a dia das unidades escolares, atuando na melhoria da convivência, tratando os conflitos e promovendo uma cultura de paz. Além disso, reforça o resgate de valores, reflexões de atitudes e o não à violência. Por meio do diálogo iremos fortalecer vínculos e transformar a escola em um ambiente ainda mais confortável de convívio social”.