Home » Notícias » Prefeitura propõe recomposição salarial de 8% aos servidores

Prefeitura propõe recomposição salarial de 8% aos servidores

Prefeitura propõe recomposição salarial de 8% aos servidores

No último dia 28, o prefeito de Iperó encaminhou à Câmara Municipal projeto de Lei prevendo a recomposição salarial da ordem de 8% sobre os vencimentos dos servidores municipais da ativa e aposentados. O benefício atinge também as pensionistas. O reajuste de 8%, proposto pela Prefeitura, é superior ao reajuste aplicado sobre o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), que foi de 5,91%. O reajuste de 8%, proposto ao funcionalismo de Iperó, é superior ao de outros municípios da região, que ficou entre 5% e 7%.

A proposta do Executivo iperoense é a de que todos as faixas salariais dos servidores efetivos tenham o mesmo índice de reajuste de 8%, de forma igualitária, inclusive aqueles que ganham o piso salarial da Prefeitura. Instituído em 2006, o piso salarial da Prefeitura foi fixado em 10% acima do valor do salário mínimo nacional. Ocorre que o reajuste do salário mínimo definido anualmente pelo governo federal acabava “engolindo” a recomposição salarial dada pelo município e os servidores municipais que recebiam o piso acabavam não sendo beneficiados. Desta vez isso não vai acontecer, e estes trabalhadores também terão os 8% de recomposição sobre seus vencimentos.

De acordo com o projeto do prefeito à Câmara, no ano passado, a proposta de recomposição salarial do funcionalismo teve índices diferenciados. Enquanto os funcionários municipais tiveram um reajuste de 5%, os professores e a equipe pedagógica do município receberam 7% de reajuste sobre seus vencimentos, e também foram contemplados com ticket alimentação, com a regularização da situação dos professores adjuntos e a correção da jornada, conforme prevê a Lei Federal 11738.

No período de um ano e meio, a Prefeitura conseguiu ainda ajustar os salários de algumas categorias que se mostravam bastante defasados. Esse foi o caso dos guardas civis municipais, dos auxiliares administrativos, escriturários, auxiliares de desenvolvimento infantil, entre outros.

E isso aconteceu com a Prefeitura tendo que trabalhar com um orçamento municipal de 2013, ou seja, definido pela administração anterior. Neste ano, com o novo orçamento, foi possível estender o índice de reajuste de 8% de forma linear para toda a categoria.