Home » Notícias » Programa Futuro Cientista é certificado pela Fundação BB

Programa Futuro Cientista é certificado pela Fundação BB

Programa Futuro Cientista é certificado pela Fundação BB

Saiu o resultado da primeira fase de classificação para o Prêmio de Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil. Entre 735 iniciativas inscritas, 173 foram consideradas aptas a receber a certificação em 2017. Entre elas está o “Programa Futuro Cientista” (PFC), que desde 2014 é desenvolvido em Iperó, numa parceria entre a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a Prefeitura.

Atualmente, em Iperó integram o PFC as escolas municipais “Prof. Zilma Thibes Mello”, “Dona Elisa Moreira dos Santos”, “Prof. Roque Ayres de Oliveira” e “Francisco Adolfo de Varnhagen”.

A triagem foi realizada por uma comissão formada pela equipe técnica da Fundação BB e entre os requisitos solicitados estavam o tempo de atividade, as evidências de transformação social, a sistematização da tecnologia e o respeito aos valores de protagonismo social, respeito cultural, cuidado ambiental e solidariedade econômica.

As propostas inscritas foram classificadas em seis categorias nacionais, sendo validadas 15 tecnologias em Agroecologia, 27 em Água e/ou Meio Ambiente, 11 em Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital, 40 em Economia Solidária, 52 em Educação e 16 em Saúde e Bem Estar. Na categoria internacional foram classificadas 12 propostas.

Com a certificação, as tecnologias passam a compor o Banco de Tecnologia Social (BTS) da Fundação Banco do Brasil, que agora conta com 995 iniciativas aptas para reaplicação. Para o presidente da Fundação, Asclepius Soares, a certificação garante mais visibilidade à iniciativa e fortalece o conceito para a reaplicação em outras localidades. “Nosso objetivo é melhorar a vida das pessoas através do reconhecimento e da reaplicação de tecnologias sociais que já deram certo. Aproximamos a sabedoria popular ao conhecimento técnico para proporcionar o desenvolvimento social em escala”, explicou.

“A certificação do PFC é motivo de orgulho para Iperó, pois há três anos o programa desenvolve atividades também em nosso município. Isso fortalece bastante a atuação nas escolas e incentiva os alunos a se dedicarem ainda mais às atividades propostas no âmbito do PFC”, comentou o prefeito.

Essa é a nona edição da premiação, tem a cooperação da Unesco no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

A próxima etapa está prevista para 15 de agosto, com a divulgação dos projetos finalistas. As propostas vencedoras serão anunciadas em novembro e as seis iniciativas vencedoras nas categorias nacionais receberão um prêmio de R$ 50 mil cada. Além disso, haverá a entrega de troféu e a produção de um vídeo mostrando as iniciativas das 21 instituições finalistas nacionais e das três finalistas internacionais.

Aula inaugural de 2017, realizada em abril na Escola Municipal “Prof. Zilma Thibes Mello”, em George Oetterer

Scroll Up