Home » Notícias » Violência contra o idoso é tema de reunião do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso

Violência contra o idoso é tema de reunião do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso

Violência contra o idoso é tema de reunião do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso

O SESC Consolação, em São Paulo, sediou a 88ª reunião descentralizada do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso (CNDI) nos dias 9 e 10 de maio. Além dos membros do CNDI, o evento teve a presença dos conselhos estaduais da região sudeste, dos conselhos municipais do Estado de São Paulo, da presidente da Comissão do Idoso da OAB/SP, Adriana Viel, e do Promotor de Justiça de São Paulo, Delton Esteves Pastore. A presidente do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso de Iperó (CMI), Luiza Mendes, também esteve presente.

O tema principal do encontro foi a violência contra o idoso, que de acordo com os indicadores da Ouvidoria Nacional / Disque Direitos Humanos (Disque 100), vem aumentando consideravelmente em todo o Brasil. A reunião também aproveitou a proximidade do dia 15 de junho, quando é comemorado o Dia Internacional de Conscientização e Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa. O CNDI tem buscado a integração com todos os conselhos municipais existentes no país para implementar ações que ajudem a diminuir esses índices.

De acordo com Flávia Piovesan, presidente do CNDI e Secretária Especial de Direitos Humanos, em mais de 50% dos casos de violência contra o idoso, o agressor é um dos filhos. “Esses encontros são importantes para que as políticas públicas voltadas aos idosos sejam efetivadas. Em 2050, aproximadamente 30% da população será representada por idosos. Hoje essa representatividade é de cerca de 10% no Brasil”, disse.

Em Iperó, de acordo com a fundação SEADE, atualmente 11% da população é formada por idosos. Por isso, o CMI tem buscado uma participação ativa na construção e efetivação das políticas públicas relacionadas aos idosos. “Em junho, o CMI completará dois anos de atuação. Temos auxiliado os departamentos sociais e de Saúde, na busca por um melhor atendimento às famílias e aos idosos do município”, explicou Luiza Mendes, presidente do CMI.

“A atuação do CMI prioriza sempre a melhora da qualidade de vida dos idosos do nosso município. Por isso, é preciso que o órgão esteja sempre fortalecido e os seus integrantes atualizados quanto às ações que podem ser desenvolvidas junto a essa parcela da população”, comentou o prefeito.

Denúncias sobre maus tratos aos idosos, como agressão física, psicológica, violência financeira, abandono, maus tratos e estelionato, podem ser feitas pelo Disque 100. A ligação é gratuita e será mantido o anonimato.